Pesquisar este blog

Carregando...

15 de abril de 2011

Itabaiana - Sergipe, fotos e história da cidade


poço das moças, Por alysson
poço das moças

barragem da cajaiba, Por jailton
barragem da cajaiba

pedreira da cajaiba, Por jailton
pedreira da cajaiba

Igreja do Bom Parto, Por alysson
Igreja do Bom Parto

centro comercial de itabaiana, Por alysson
centro comercial de itabaiana

rua de itabaiana, Por alysson
rua de itabaiana

praça fausto cardoso em itabaiana, Por alysson
praça fausto cardoso em itabaiana

serra de itabaiana-porcoes, Por alysson
serra de itabaiana-porcoes

entrada da cidade de itabaiana, Por alysson
entrada da cidade de itabaiana
praca da igreja do bom parto em itabaiana, Por alysson
praca da igreja do bom parto em itabaiana

ufs de itabaiana, Por alysson
ufs de itabaiana, Por alysson

prefeitura de itabaiana, Por alysson
prefeitura de itabaiana

unit de itabaiana, Por alysson
unit de itabaiana

estadio de futebol de itabaiana, Por alysson
estadio de futebol de itabaiana

prefeitura de itabaiana, Por alysson
prefeitura de itabaiana

praca joao pessoa em itabaiana, Por alysson
praca joao pessoa em itabaiana

Itabaiana, Por alysson
Itabaiana

balneiario de itabaiana, Por alysson
balneiario de itabaiana

balneiario de itabaiana, Por alysson
balneiario de itabaiana

serra de itabaiana, Por alysson
serra de itabaiana

serra de itabaiana, Por alysson
serra de itabaiana

entrada do trevo de itabaiana, Por alysson
entrada do trevo de itabaiana

serra de itabaiana, Por alysson
serra de itabaiana

SESC MESA BRASIL ITABAIANA
SESC MESA BRASIL ITABAIANA

Mapa
Mapa


















HISTÓRIA DA CIDADE
 O início da colonização das terras itabaianenses remete-se a 1590, quando a expedição de Cristóvão de Barros liquidou os indígenas e iniciou o processo de colonização de Sergipe. Datam dessa época as primeiras notícias de terras doadas a sete lavradores para colonizarem as circunvizinhanças do Rio Sergipe. A primeira sesmaria é dada a Ayres da Rocha Peixoto, casado com uma neta de Caramuru. Suas terras atingiam áreas compreendidas entre os rios Japaratuba e Sergipe, correspondendo, dentro de um mapa atual, aos municípios de Itabaiana, Riachuelo e Santo Amaro das Brotas. É nesse período que ocorre o povoamento e colonização de Itabaiana em grande escala, com a distribuição de terras, notadamente aquelas situadas às margens do Rio Jacarecica. Os colonos contemplados com tais sesmarias, se espalhando em sítios pelas margens do rio, vão fundar o Arraial de Santo Antônio, a primeira povoação de Itabaiana. Esse local hoje é conhecido por Igreja Velha, a uma légua do atual centro da cidade, erguendo-se uma capela, fundando a Irmandade das Santas Almas. Esta capela é registrada no mapa de Barleus, durante a invasão holandesa, datado provavelmente de 1641, data em que os holandeses pesquisaram ouro na Serra de Itabaiana. O local onde se encontra hoje a sede do município, conhecido no século XVI como Catinga de Ayres da Rocha, era primitivamente um sítio de propriedade do pároco de São Cristóvão, padre Sebastião Pedroso de Goes, que vendeu em 9 de julho de 1675, por ‘Rs 60$000’, à Irmandade das Almas de Itabaiana, sob a condição de nele ser reedificado um templo sob a invocação de Santo Antônio e Almas de Itabaiana. Segundo o historiador Sebrão Sobrinho, a intenção do padre Sebastião era ver a concretização da criação da Freguesia de Santo Antonio e Almas de Itabaiana e, para tanto, se fazia necessário que a igreja fosse edificada em terreno próprio. Como a capela de Santo Antonio estava edificada numa fazenda de propriedade particular, jamais a freguesia poderia ser criada. Com a venda da Caatinga de Ayres da Rocha à Irmandade, foi edificada a Igreja, passando este lugar a sede da vila, que até então funcionava na Igreja Velha. A povoação foi crescendo e já pelo ano de 1678, Itabaiana era distrito, possuindo paróquia desde 30 de outubro de 1675, permanecendo a invocação de Santo Antonio. A paróquia foi criada pelos governadores do Arcebispado, na ausência do arcebispo dom Gaspar Barata de Mendonça. A Vila foi levantada pelo ouvidor d. Diogo Pacheco de Carvalho, em 1698, sob a denominação de Vila de Santo Antônio e Almas de Itabaiana. Em 1727, aparecia como já possuindo sua Câmara representando o município.
ADORNOS DE FANTASIA
Do roteiro de minas de Belchior Dias Moreyra, que andou por Itabaiana logo no início da colonização da capitania, deduz-se que naquela serra se encontravam jazidas de grandes riquezas minerais, sobretudo de metais preciosos. Em seis ensaios ele fazia menção “à prata, ao salitre e ao ouro da Serra de Itabaiana Assu”. Mas de concreto, nada se pôde colher, tendo Clodomir Silva, no ‘Álbum de Sergipe’, de 1920, se referido como ‘adornos da phantazia’. De fato, segundo o historiador, os informes a respeito da existência das minas baseavam-se na versão do povo e nas informações de parentes e afeiçoados da família do explorador. A Vila de Santo Antônio e Almas de Itabaiana foi elevada à categoria de cidade em 28 de agosto de 1888, na presidência de Francisco Paula Prestes Pimentel. Na divisão administrativa do Estado, vigorante no ano de 1920, o município continuava como sede da comarca e se compunha de um único distrito. Eram termos da comarca de Itabaiana os municípios de Campo do Brito e Frei Paulo. Os primeiros documentos que tratam da região apresentam denominações diferentes para o lugar. Os nomes mais freqüentes são Itanhama ou Tabaiana. A forma Itabaiana, parece que se definiu no século XVII. Os holandeses, de quem não se poderia esperar uma grafia muito correta, registraram a forma Itapuana. Itabaiana, nome indígena, é o resultado dos sufixos Ita (pedra), Taba (aldeia), e Aone (alguém). Tudo junto significa ‘naquela serra tem uma aldeia onde mora alguém’, a palavra pedra refere-se à Serra de Itabaiana. A lenda de Santo Antônio Fujão Santo Antônio ‘vivia’ numa casa que não era sua: a primeira capela construída no Arraial de Santo Antônio pelos colonos, na região hoje conhecida como Igreja Velha, fora erguida em propriedade particular. O pároco de São Cristóvão, Sebastião Pedroso de Goes, vendeu o sítio ‘Caatinga de Ayres da Rocha’, em 9 de julho de 1675, à Irmandade das Almas para que nele erguesse a igreja própria para a morada de Santo Antônio. Segundo comentários, algumas pessoas da comunidade que queriam a mudança da sede para o arraial, retiravam às escondidas o Santo Antônio e conduziam até a Caatinga de Ayres da Rocha, de noite, deixando-o num dos galhos da quixabeira. Para os colonos, era fácil descobrir o paradeiro do santo, já que propositalmente se deixavam pistas. A ‘fuga’ verificava-se com freqüência. Depois de cada uma delas, a imagem era levada, em procissão, para a capelinha. Não se tem data exata do início da construção da nova Igreja, sabe-se que a Igreja velha funcionou até 1737, mas já sem grande freqüência, porque a transferência do padroeiro significou também mudança da sede do arraial para o outro sítio. Ficou, porém, a lenda do Santo Fujão.
Antiga instituição musical do Brasil
A Filarmônica Nossa Senhora da Conceição é um desdobramento de uma agremiação musical instituída em meados do século XVIII, denominada Orquestra Sacra. Era um instrumental e Coral da Igreja Matriz da Freguesia e Vila de Santo Antônio e Almas de Itabaiana, da Capitania de Sergipe Del Rey. O grupo foi criado pelo vigário licenciado Francisco da Silva Lôbo e, originariamente, destinava-se principalmente aos atos religiosos. A maior glória da orquestra foi ter como um dos seus membros, como cantor e flautista, o então professor de Latim, Tobias Barreto de Meneses. Em fevereiro de 1879, o professor e compositor Samuel Pereira de Almeida mudou o nome da orquestra para ‘Philarmônica Euphrosina’, da qual fizeram parte o general José Calasans e um dos mais influentes políticos da região, o coronel José Sebrão de Carvalho. Em outubro de 1897, o maestro Francisco Alves de Carvalho Júnior trocou o nome da instituição para ‘Philarmônica Nossa Senhora da Conceição’. Na época já era considerado como o conjunto musical mais antigo do Brasil, fundado há mais de dois séculos, sem descontinuidade.
Significado do Nome


Aniversário da Cidade:

 
28 de Agosto

Gentílico:

itabaianense
População:
86.981 habitantes
hspace=0 CARACTERÍSTICAS: 

Clima:
Temperado 
Temperatura Média:
24,7° C 
hspace=0 COMO CHEGAR:
Partindo de Aracaju: BR-267


Localização:
Agreste Sergipano
Limites:

Acesso Rodoviário:
BR-235  
Distâncias:
Da Capital:
45 km 
Outras:


hspace=0 TURISMO:
Resumo:

Principais Pontos Turísticos:
Serra de Itabaiana

Situada entre os municípios de Areia Branca e Itabaiana e a 50 quilômetros da capital,fica a Serra de Itabaiana.Caracteriza-se pela sucessão de elevações atingindo 670 metros no topo;preserva remanescentes de Mata Atlântica e diversos ecossistemas.
Com atrações irresistíveis na região como:a Gruta, 
o Poço das Moças, a Sala do Rio Negro, a Capela, a Cachoeira, Véu de Noiva e a Trilha do Caldeirão. Transformada em Parque Nacional Em 2005.

Poções da Ribeira
Localizado no povoado Ribeira, formações rochosas que proporcionam
Ruínas da Igreja Velha
Povoado Igreja Velha
Filarmônica Nossa Senhora da Conceição
Praça Fausto Cardoso
Parque dos Falcões
Povoado Gandu
Feira de Itabaiana
A feira de Itabaiana é realizada na quarta-feira e no sábado, onde as pessoas da região circunvizinhas deixam seus trabalhos e residências e deslocam-se para Itabaiana. Com o objetivo de visitar a feira. Esta pela sua imensidão e variedade modifica, em seus dias de acontecimento, parte de uma vida social urbana cotidiana, ou seja, por causa da feira a cidade muda em alguns aspectos suas características comuns de todos os outros dias.
O comércio, principal atividade econômica da cidade, volta-se para a realização da feira no sentido em que muda alguns de seus comportamentos provocados pela feira livre. Onde os estabelecimentos comerciais funcionam durante todo o dia, inclusive aos sábados, então fecham seus estabelecimentos durante o horário do almoço que cor responde entre as 12:00hs e 14:00hs, pois este fato não ocorre durante os outros dias. Pessoas são contratadas para trabalhar apenas nos dias da feira-livre, e todos os funcionários trabalham em um expediente de duração mais longa
Castanha do Carrilho
O povoado Carrilho fica a 6 km de Itabaiana, na região centro-sul do munícipio.Povoado por pessoas humildes ,ali é guardado um grande tesouro:a castanha.Cerca de 10 toneladas  de castanhas são torradas e levado para todo o país.O trabalho é feito de forma artesanal.
Igreja Matriz de Santo Antônio e Almas
Praça Fausto Cardoso

hspace=0 EVENTOS:
Calendário de Janeiro a Dezembro:


hspace=0 INFORMAÇÕES ÚTEIS:
PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABAIANA
E-mail: prefamorinopolis@cultura.com.br
Telefones: (79) 3431-1172
Sites:
SUB-PREFEITURA:
E-mail:
Telefone:
INFORMAÇÕES AO TURISTA:
Terminal Rodoviário:
Rua Augusto Maynard, 155
Telefone: (79) 3431-2281
ENDEREÇO DO SITE OU PORTAL DA LOCALIDADE:
E-mail:
Telefone:

CARTÓRIOS: CIVIL, IMÓVEIS, TÍTULOS E DOCUMENTOS, OUTROS:




Cartório do 1º Ofício de Notas e Registro de Imóveis 
 
Pç. Fausto Cardoso, 20 
 
Centro     
 
Itabaiana CEP: 49500-000

Telefone: (79) 3431-2527

Cartório do 1º Ofício de Notas e Registro de Imóveis 
 
Pç. Fausto Cardoso, 20 - Centro     
 
Itabaiana-SE - CEP: 49500-000

Telefone: (79) 3431-2527  
E-mails: 1cartorioreg@itnet.com.br
CARTÓRIO ELEITORAL:
E-mail:
Telefone:
OUTRAS INFORMAÇÕES DE TELEFONES E E-MAILS:
HOSPITAIS:
CORPO DE BOMBEIROS: 193
DELEGACIA DE POLÍCIA:
OUTROS:
E-mails e telefones:
Sites: http://pt.wikipedia.org
http://www.cnm.org.br
PESSOAS ILUSTRES NASCIDAS NA LOCALIDADE:




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você no Blog Nordestinos Paulistanos
jornalista cidadão.
Envie textos
fotos, vídeos
Cultura,história da cidade,causos,linguajar,poesia,cordéis e muito mais.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidore